simplesmente… Vinho 2017: o salão alternativo para vinhos artesanais

“Um salão off” que junta vinhos, petiscos, arte, música e muito convívio. O “simplesmente… Vinho 2017” reúne, no Porto, produtores e apreciadores de vinho entre 24 e 25 de Fevereiro.

Como uma “manifestação de nicho, independente e alternativa”, conforme as palavras dos responsáveis do evento, este salão único junta alguns dos mais carismáticos produtores nacionais de vinhos no Cais Novo, junto ao Museu do Vinho do Porto e com o Douro como paisagem.

Os melhores vinhos artesanais

Naquela que será a quinta edição do “simplesmente… Vinho”, mantém-se o espírito de colocar na montra e dar a provar o “vinho que respeita a terra e os terroirs, as vinhas e as uvas, as pessoas e as tradições”, segundo a descrição no site do evento.

Assim, pelo salão passam 84 produtores – ou “vignerons” como os apelida a organização – que representam os melhores vinhos artesanais que se fazem em Portugal, neste momento. Alguns deles têm lugar privilegiado na garrafeira Virgu Wines, integrando o lote de vinhos que temos à venda.

Entre esses “vignerons” está Vasco Croft, o filósofo dos “vinhos biodinâmicos” Aphros, marca de Arcos de Valdevez, em pleno coração dos Vinhos Verdes, e que é um dos grandes exemplos nacionais de um produto que “exprime com autenticidade a pureza do seu terroir“, conforme se sublinha no texto de apresentação do produtor no salão.

Em representação da marca Quinta Valle Madruga, em Valpaços, Trás-os-Montes, estará Tiago Martins Ribeiro, e Mário Sérgio Nuno vai exibir o potencial dos vinhos da Quinta das Bágeiras, na Bairrada. Mais dois “vignerons” que apostam na excelência acima da quantidade em duas quintas com fortes tradições familiares.

Teresa Barbosa, da marca Ninfa, um vinho de autor da região do Tejo, elaborado a partir de uvas de produção biológica, e Joaquim Arnaud, que criou na Península de Setúbal a sua marca personalizada, com o seu próprio nome, a partir de uvas típicas do terroir alentejano, são outros dos produtores presentes no salão.

O Alvarinho com alma da “adega familiar” Quinta de Santiago, uma marca da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, localizada na sub-região de Monção e Melgaço, será representado por Joana Santiago.

E Diogo Santos vai dar a provar o OlhoGordo, um vinho do Dão Serrano, “fermentado com pisa a pé em lagar de granito” e revelador do “potencial de guarda dos vinhos de altitude”, conforme se descreve no site do salão.

Destaque ainda para as presenças de António Antunes, da Herdade do Arrepiado Velho, em Sousel, Alto Alentejo, e de Pedro Marques, do Vale da Capucha, uma pequena vinha em Lisboa. São mais dois projectos com foco nos métodos tradicionais e na qualidade da pureza dos vinhos.

Este painel de produtores que a Virgu Wines tem também, o prazer de disponibilizar aos seus clientes, é bem ilustrativo do portefólio diversificado e “com uma dose saudável de loucura e poesia” que o “simplesmente… Vinho” tem para oferecer, conforme afiançam os responsáveis do evento.

Evento viaja até Barcelona em Março

O salão abre às 16 horas e antes de encerrar, pelas 21 horas, contará com a actuação das bandas portuenses We Are Mean Chick, na sexta-feira, e André Indiana, no sábado.

Paralelamente à apresentação dos vinhos e ao convívio, e no espírito solidário que marca também o evento, vai decorrer um leilão de obras de arte e de vinhos com as receitas a reverterem a favor de crianças do Porto e em prol da preservação do ambiente.

No próximo mês de Março, o “simplesmente… Vinho” viaja até Barcelona, instalando-se na galeria Nau Bostik, en La Sagrera, entre 4 e 5 de Março.

Deixe uma resposta